Léon Bloy

by outrasluzes

Acabado de chegar da Feira do Livro de Braga, trago na bagagem, para além de outros livros, uma edição portuguesa da obra de Léon Bloy, Le Désespéré. A edição é em capa dura, de 1974, e saiu com a chancela da Editora Ulisseia, Lisboa.  O preço, uma pechincha: 2 euros.

Considerado uma personagem paradoxal, Bloy nasce em Périgueux, França, em 1846. Cristão anti-clérical, auto-denomina-se o «peregrino do absoluto». A sua escrita é densa e violenta. Borges diz que na sua escrita «abundam o queixume e a afronta». Converte-se ao catolicismo por volta dos vinte anos. Juntamente com a sua mulher e filhos, conheceu a profunda miséria. Os seus livros vendiam pouco.

Um prelúdio ao segundo volume da Exegese dos Lugares Comuns, traduzido por Roberto Mallet, pode ser lido AQUI.

Anúncios